Notícias

Educação - O que podemos apreender em tempos de pandemia?

18/junho/2020 - 08:55

Longe de trazer certezas ou respostas nas linhas que se seguem buscamos aberturas. Estamos em um momento de exceção: a pandemia exigiu a todos medidas de cuidados que foram sentidas por muitos como uma mudança brusca na vida, na rotina, mas também no modo de pensar. Este vírus, um organismo tão pequeno nos colocou diante grandes questões sobre a existência, as fragilidades humanas e a vida.

Se é verdade que é um vírus democrático, a pandemia atinge a todos, também é verdade que de modos diferentes. Há pessoas que estão mais vulneráveis, seja pelas condições de saúde, seja por condições sociais ou pelo acesso ao tratamento. Também nos ocorre em tempos de vida diferentes. Não é o mesmo com que recursos uma criança vai fazer frente ao que está acontecendo, um bebê, um adolescente ou um adulto. Os adultos podem falar, conversar sobre o que lhes acomete. Os adolescentes podem ouvir música, ler, conversar virtualmente com os amigos, assistir filmes e séries.

Mas, e uma criança? Pode ler, escrever, desenhar e, principalmente, brincar. Pois, é um trabalho emocional sério, é nele que as crianças elaboram respostas ao que estão vivendo. É importante nestes tempos zelar por estes espaços, seja com os pais, os irmãos, os avós que moram junto ou sozinhas, sustentar por si só o faz-de-conta. É desfrutando desse tempo do “não fazer nada” que vão poder imaginar, inventar, criar. Os adultos também necessitam desses tempos, são onde podem repensar a vida, sua trajetória e seus planos.

Da mesma forma, falar sobre o que está acontecendo é importante, mesmo para os mais pequenos, com o cuidado de expor a excessos, até porque eles veem nos rostos dos adultos a preocupação com a saúde, com a educação e as questões econômicas. Um outro caminho pode ser contar histórias, falar do passado, das histórias da família, da humanidade, de como atravessamos tempos difíceis. E do futuro, sustentar a possibilidade de sonhar com as crianças, pois o que permite amparar o presente é também a aposta em um futuro.

Talvez seja uma oportunidade de ensinar as crianças e aos jovens sobre a importância do cuidado com a vida, consigo e com o outro. De que cuidar da casa, dos nossos ambientes é importante e pode ser feito com prazer, como um tempo de cultivar a cumplicidade, o compartilhamento lúdico das tarefas: fazer comida, lavar roupa, arrumar a cama, são momentos que podem surgir uma brincadeira ou uma conversa das mais interessantes. Se fomos lembrar das conversas e palavras que nos marcam acontecem assim, ao pé do fogão ou no compartilhando um afazer.

Pode ser um tempo de resgatarmos a educação em seu sentido amplo, como formação humana.  Os conteúdos e o desenvolvimento das competências são importantes, mas também o resgate das capacidades humanas, da formação ética, da solidariedade, o reconhecimento e consideração ao outro e a empatia. A educação se dá no vínculo, nas trocas, no olhar, na conversa. Sabemos que não é possível substituir a presença física, mas é tempo de sustentarmos a educação em seu sentido amplo e estamos todos convocados. Para que adultos, jovens e crianças possam apreender com a experiência destes tempos e sustentar um futuro melhor.

 

Texto: Psicóloga Escolar - Carolina Zandona

Escola Santos Anjos

FOTOS

O seu navegador está desatualizado!

Atualize o seu navegador para ter uma melhor experiência e visualização deste site. Atualize o seu navegador agora

×